PGBL ou VGBL: como escolher meu plano de previdência?
PGBL ou VGBL: entenda tudo sobre previdência privada no Brasil.

PGBL ou VGBL: como escolher meu plano de previdência?

A previdência privada é um dos produtos disponíveis no mercado financeiro para quem busca um padrão de vida confortável ao longo do tempo ou uma aposentadoria tranquila.

Ela é uma alternativa complementar à previdência social, capaz de atender a todos os perfis de investidores. Além disso, a previdência privada é um instrumento para sucessão patrimonial e planejamento tributário.

Apesar da previdência privada ser conhecida pelos brasileiros, muitas pessoas têm dúvida na hora de contratar o serviço, principalmente na adesão dos modelos PGBL ou VGBL.

Continue a leitura e aprenda tudo sobre PGBL e VGBL, e compreenda qual a melhor opção para o seu perfil. Comece a preparar agora o seu futuro!

Confira o que você tem acesso neste material:

Como funciona a previdência privada?

A previdência privada é um instrumento utilizado no planejamento financeiro para constituir reservas de longo prazo.

Um plano de previdência não é o mesmo que um fundo de previdência. Na prática, o plano é um pacote de serviço que considera as particularidades de cada investidor e aplica os recursos em fundos previdenciários, com regras específicas desse mercado. 

Os planos abertos de previdência complementar são disponibilizados ao público geral por bancos e/ou seguradoras, desde que aprovados pela Superintendência de Seguros Privados, a SUSEP, órgão responsável por fiscalizar esse serviço.

Vale mencionar que os planos de previdência também podem ser fechados, ou seja, restritos a um grupo específico de pessoas. Neste caso, ele é fiscalizado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar, a PREVIC.

Os dois tipos de previdência mais comuns são:

  1. PGBL ou Plano Gerador de Benefícios Livres;
  2. VGBL ou Vida Gerador de Benefícios Livres. 

Na previdência privada, os investidores passam inicialmente pela fase de acumulação de recursos e depois entram no período de usufruto do dinheiro. Na primeira etapa, eles escolhem entre receber o benefício no formato de renda mensal vitalícia, temporária ou ainda por um pagamento único.  

Rendimento da previdência privada

Os rendimentos dos planos de previdência privada estão diretamente relacionados ao desempenho dos fundos de previdência a que estão relacionados

O volume financeiro envolvido e os custos operacionais, como a taxa de administração, taxa de custódia e a taxa de carregamento, também influenciam a rentabilidade da previdência privada.

A alta procura por essa classe de ativos fez com que a indústria de fundos inovasse em suas estratégias e hoje há opções de produtos de previdência com rendimentos e custos cada vez mais atrativos.

Para ajudar no processo de escolha do plano, algumas instituições disponibilizam simuladores. Essas ferramentas permitem que você analise diferentes possibilidades com base nos seus objetivos e momento de vida. Mas atenção: os simuladores não representam uma garantia de rentabilidade.

Quais são as principais diferenças entre o VGBL e o PGBL?

Segundo a Susep, a principal diferença entre os planos PGBL e VGBL está no tratamento tributário de cada um. Ainda que os dois sejam tributados apenas no resgate, no PGBL o imposto incide sobre o total investido, enquanto que no VGBL a cobrança é feita somente sobre os rendimentos.

Para facilitar, destacamos as principais características e diferenças entre as duas modalidades de previdência.

VGBLPGBL
Vida Gerador de Benefícios LivresPlano Gerador de Benefícios Livre.
O imposto de renda incide sobre o rendimento.A cobrança de imposto é sobre o valor total.
Classificado como “seguro de vida”.Considerado plano de previdência complementar.
Não concede benefício fiscal.Pode ser utilizado para deduzir até 12% da renda tributável.

Ao decidir adquirir um plano de previdência privada é importante atentar-se também aos regimes tributários. Tanto o VGBL quanto o PGBL podem seguir as tabelas progressiva ou regressiva de imposto de renda.

A tributação progressiva é aquela cuja alíquota de imposto é baseada no volume financeiro resgatado, que vai da isenção à alíquota máxima de 27,5%. Já a tabela regressiva inicia com tributação de 35% até dois anos e pode chegar a alíquota mínima de 10% após 10 anos. Por este motivo, a última é recomendada para quem tem certeza de objetivos no longo prazo.

Para quem é indicado VGBL?

Basicamente, o VGBL é o plano mais indicado para quem é isento de IR ou utiliza o modelo de declaração simples do imposto de renda. Isso porque nessa modalidade não há possibilidade de dedução fiscal. 

Para quem é indicado PGBL?

o investimento em previdência PGBL é indicado para quem faz a declaração completa do imposto de renda, afinal ele concede benefícios fiscais. 

O PGBL pode ser utilizado para dedução do IR.  Além disso, aqueles que têm dependentes podem utilizar as contribuições dos seus planos para deduzir, desde que não ultrapassem os 12% da renda bruta tributável.

Qual a diferença da previdência privada com a aposentadoria social?

O Sistema Previdenciário Brasileiro é composto pela previdência pública, administrada pelo governo através do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, e pela previdência complementar, gerenciada por instituições financeiras privadas.

Embora os dois modelos tenham como objetivo a construção de um patrimônio no longo prazo, existem diferenças entre eles que devem ser considerados. Confira algumas delas:

Previdência SocialPrevidência Privada
Contribuição obrigatória aos que trabalham com carteira assinada (CLT).Contribuição facultativa.
O recebimento de benefícios limita-se a R$6.433,57 por mês. Não há limite para recebimento de benefícios.
Não possibilita o resgate antecipado dos recursos.É possível solicitar o resgate após o período de carência.

Se de um lado a previdência privada pode entregar melhor rentabilidade, por outro a previdência pública proporciona benefícios sociais como licença maternidade, auxílio-doença, pensão por morte, entre outros. Portanto, as duas modalidades de previdência não competem e podem ser utilizadas juntas.

Como funciona a portabilidade na previdência privada?

Além disso, o investidor, que não estiver satisfeito com os seus resultados, tem a opção de fazer uma portabilidade para modificar os ativos da previdência em sua carteira ou até mesmo a instituição, sem custos ou cobrança de IR. Vale mencionar que a modalidade do plano, VGBL ou PGBL, é preservada.  

Ainda sobre a portabilidade da previdência, o contratante tem a opção de mudar os regimes de tributação. Ele pode migrar da tabela progressiva para a tabela regressiva em até 30 dias. Porém, o contrário não é permitido.

Outros investimentos para quem busca se preparar para o futuro?

Além da previdência privada, existem outras opções de investimento para aposentadoria, seja na renda fixa ou na renda variável. 

Desde ações a títulos de renda fixa, como o Tesouro Direto, o mercado tem muitas oportunidades para quem faz planejamento no longo prazo. 

Sendo assim, o mais importante é que suas decisões sejam baseadas no seu perfil de investidor, necessidades e horizonte de investimento.

Lembre-se que ao se preparar para o futuro, você não pode deixar de lado o presente. Por isso, fique atento a sua reserva de emergência. Ela é responsável por proteger seu planejamento financeiro das situações inesperadas do curto prazo.

Como a previdência privada pode lhe auxiliar no planejamento sucessório?

Os planos previdenciários também são uma opção para a sucessão patrimonial. Isso porque o contratante pode escolher quem se beneficiará do valor acumulado. Assim, na fase de recebimento do benefício, o recurso irá direto para o beneficiário.

No caso de falecimento do titular, as pessoas indicadas como beneficiárias na contratação do plano recebem o recurso em até 30 dias, uma vez que esses produtos não entram em inventário. 

Do contrário, o valor será destinado aos herdeiros legais baseado na legislação brasileira. De qualquer forma, a família não estará desamparada financeiramente, já que o processo de inventário pode levar meses ou até anos. Isso explica porque os planos de previdência podem funcionar como um seguro de vida.

O que você precisa lembrar sobre PGBL ou VGBL

A previdência privada pode contribuir com sua independência financeira, proporcionando uma renda mensal com o passar dos anos.

Lembre-se que na escolha entre as modalidades PGBL ou VGBL, você deve considerar o tipo de declaração anual de imposto de renda que utiliza, assim como o prazo que possui para conquistar seus objetivos.

As previdências privadas são um serviço, por isso vale a pena atentar-se ao tipo de fundo que estará em seu plano. No longo prazo, o ideal é que sejam utilizados produtos mais arrojados com maior potencial de retorno.

Quer ter mais dicas práticas sobre educação financeira? Então continue acompanhando as novidades aqui no blog. 

Abra a sua conta na My Cap, é grátis! Aproveite e acesse nossos relatórios e carteiras recomendadas. 

Até a próxima!

Compartilhar:FacebookTwitter

Deixe uma resposta

2 comentários

MyCAP Power Broker APP

É a ferramenta ideal para quem quer acompanhar o mercado em tempo real de qualquer lugar.

MyCAP Power Broker APP
%d blogueiros gostam disto: