Como investir no exterior morando no Brasil?
Como investir no exterior morando no Brasil

Como investir no exterior morando no Brasil?

A diversificação internacional é uma das estratégias a seguir em um planejamento financeiro. Antes, ela era vista como um benefício daqueles com maior poder aquisitivo. No entanto, investir no exterior tem se tornado algo cada vez mais acessível.

Graças à modernização do mercado financeiro, hoje os brasileiros conseguem investir em ativos internacionais, como as ações de grandes empresas estrangeiras, sem ter que enviar dinheiro para fora do país.

Quer saber melhor como funciona? Continue com a gente e confira 4 maneiras de investir no exterior que podem contribuir para o melhor desempenho da sua carteira de investimentos.

O que mais você irá ler: 

Por que você deve investir fora do Brasil?
E quais os riscos de investir no exterior?
Como começar a investir no exterior sem sair do país?
4 formas para investir no exterior
E qual é o melhor investimento no exterior?
Como os investimentos no exterior devem ser declarados no IR?
O que você precisa lembrar sobre investimentos no exterior?

Por que você deve investir fora do Brasil?

Investir fora do país é uma das formas de diminuir a volatilidade dos portfólios e ainda aumentar o potencial de retorno.

Isso acontece porque a moeda nacional se desvaloriza facilmente diante das incertezas políticas e econômicas do próprio país. 

Os brasileiros que aplicam parte do patrimônio em ativos atrelados às moedas estrangeiras fortes, como o dólar, preservam o poder de compra do dinheiro, especialmente em momentos de crise na economia brasileira.

Ou seja, além de ser uma boa opção para diversificação de carteira com possibilidades de bons retornos, investir no exterior também é uma ótima estratégia de hedge, ou, proteção de patrimônio.

E quais os riscos de investir no exterior?

Assim como outras modalidades financeiras, os investimentos internacionais também possuem risco. Em geral, esses ativos são mais voláteis e por isso são ideias para investidores com foco no longo prazo.

Por outro lado, o mercado oferece alternativas de investimentos internacionais, inclusive com capital inicial 100% protegido, permitindo que até aqueles com perfil conservador tenham uma parcela do patrimônio aplicado em moedas fortes ou em ativos com lastro internacional.

Como começar a investir no exterior sem sair do país?

No passado, para investir no mercado internacional era preciso abrir conta no exterior, fazer remessas de câmbio, dentre outras burocracias. No entanto, alguns instrumentos já possibilitam investir em ativos estrangeiros sem ter que sair do Brasil.

Para começar, abra sua conta em uma corretora de valores, como a MyCAP. Além de seguras, essas instituições financeiras oferecem muitas opções de investimento, contribuindo com a construção de uma carteira alinhada ao seu perfil de investidor.

Lembre-se de avaliar bem a corretora de investimento antes de aplicar seu dinheiro. Opte por uma instituição sólida e que ofereça benefícios, como atendimento personalizado, plataforma intuitiva e taxas de corretagem diferenciadas. 

Feito isso, o próximo passo é escolher em que investir. Neste caso, atente-se às principais características de cada ativo, liquidez e nível de exposição ao risco. Sempre que achar necessário, busque ajuda profissional.

4 formas para investir no exterior

Para facilitar o processo de escolha nas aplicações internacionais, confira 4 formas de como investir no exterior e não deixe de aproveitar as oportunidades disponíveis nos mercados estrangeiros.

  1. Brazilian Depositary Receipts

O Brazilian Depositary Receipts (BDRs) é um certificado de depósito de valores mobiliários emitido no Brasil, lastreado às ações de empresas estrangeiras. Através dele, o investidor brasileiro pode diversificar o seu portfólio, sem ter que enviar dinheiro para fora do país.

Na prática, os BDRs são uma forma de ter ações estrangeiras na carteira, como Apple, Disney, Facebook, Netflix, Tesla, entre outras, ainda que indiretamente. 

Esses instrumentos contam com uma instituição depositária, responsável por assegurar que os BDRs emitidos terão o mesmo saldo que as ações adquiridas nas bolsas de valores internacionais.

  1. Fundos de investimentos

Os fundos de investimentos no exterior são aqueles que possuem mais de 40% da carteira exposta a ativos estrangeiros, por isso destinados aos investidores qualificados. Alguns fundos comuns também podem investir nesses ativos, porém com limite de 20%.

Contudo, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) analisa a possibilidade de alguns desses ativos aplicarem até 100% do patrimônio em investimentos internacionais.

Outra opção para aproveitar o mercado internacional são os fundos cambiais. Eles possuem rentabilidade atrelada às variações das moedas estrangeiras, especialmente o dólar.

  1. ETFs 

Do inglês, Exchange Traded Funds, os ETFs são fundos que replicam a carteira teórica de um determinado índice de referência, por isso também chamados de fundos de índices.

Os ETFs representam uma oportunidade dos investidores brasileiros terem uma carteira de ativos internacionais diversificada através de um único instrumento. Por exemplo, investir nas maiores empresas americanas através do ETF IVVB11 que replica a performance do índice S&P500. 

Esse tipo de fundo de investimento tem suas cotas negociadas na bolsa de valores, semelhante às ações, portanto acessíveis ao público geral. 

  1. COEs

Os Certificados de Operações Estruturadas são instrumentos financeiros que podem investir em ativos de renda fixa e renda variável simultaneamente. Eles são utilizados pelos bancos para captação de recursos. 

Em mercados desenvolvidos, como nos Estados Unidos e na Europa, os COEs são conhecidos como Notas Estruturadas. Eles podem ser estruturados com capital protegido, que garante o valor principal investido, ou com limite de perda do montante principal.

Por este motivo, os COEs representam uma alternativa para os investidores conservadores aplicarem em ações de empresas negociadas na bolsa dos Estados Unidos, por exemplo, mas com proteção.

E qual é o melhor investimento no exterior?

Independentemente da modalidade de investimento, o ativo ideal para compor a sua carteira é sempre aquele que melhor atende às suas necessidades, objetivos e perfil do investidor.

O mercado financeiro é repleto de oportunidades. Portanto, entre as opções de investimento no exterior disponíveis, escolha a que esteja compatível com o seu planejamento. 

Lembre-se que através de uma carteira diversificada você aproveita oportunidades, seja na renda fixa ou variável, conquista uma rentabilidade diferenciada e, ainda, protege  o seu capital.

Como os investimentos no exterior devem ser declarados no IR?

Os investimentos no exterior que apresentam ganho de capital são, inevitavelmente, tributados. Mas atenção, a incidência do imposto e a forma como eles são declarados variam conforme o tipo de ativo negociado. 

Por exemplo, os fundos de investimento no exterior categorizados como multimercado seguem a tabela regressiva da Receita Federal. Já os fundos de BDRs são tributados em 15% e não há cobrança de come-cotas. Nos dois casos, o imposto é retido na fonte.

Os ETFs estão sujeitos à alíquota de 15% nas operações normais e 20% no day trade. O recolhimento, neste caso, é feito via Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF). 

No período da declaração de imposto de renda é preciso apenas prestar contas com o leão, afinal o imposto já foi pago. 

Com o informe de rendimentos em mãos, vá até a área de “Bens e Direitos”, em “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”, no Código 06 de “Rendimentos de Aplicações Financeiras” insira as informações dos fundos de investimento tributáveis. Já nos ETFs, o código é o 74.

O que você precisa lembrar sobre investimentos no exterior

Foi-se o tempo em que era preciso ter uma conta em uma corretora estrangeira para diversificar os seus investimentos com ativos internacionais.

Hoje, o investidor brasileiro pode se valer das aplicações financeiras seguras e devidamente regularizadas, expondo parte de seu patrimônio à compra de ações de companhias estrangeiras e outras modalidades de acesso a uma moeda forte, sem sair do país.

Através desses instrumentos financeiros, você blinda o seu patrimônio e ainda aumenta o potencial de retorno de seus investimentos.

Aqui na MyCAP, você tem acesso ao mercado internacional e pode diversificar os seus investimentos com segurança. 

Você conhece a  MyCAP? Conte com a isenção de corretagem e abra a sua conta.

Compartilhar:FacebookTwitter

Deixe uma resposta

MyCAP Power Broker APP

É a ferramenta ideal para quem quer acompanhar o mercado em tempo real de qualquer lugar.

MyCAP Power Broker APP
%d blogueiros gostam disto: