O que é liquidez e como ela afeta os seus investimentos?

O que é liquidez e como ela afeta os seus investimentos?

O mercado financeiro é composto por um verdadeiro dicionário de termos e a liquidez é um dos que possui grande relevância. 

Ela se refere à capacidade de converter os ativos financeiros em dinheiro, o que em algumas situações pode ser mais importante do que a rentabilidade esperada de uma carteira de investimentos. 

Ficou curioso? Então confira o que abordaremos sobre esse assunto:

O que significa liquidez no mercado financeiro?
Como a liquidez afeta a rentabilidade das aplicações?
Qual a diferença entre liquidez diária e liquidez imediata?
D+1: exemplos de investimento com liquidez diária
D+30: conheça outros tipos de liquidez
Você sabe o que é risco de liquidez?
O que vale mais a pena: liquidez ou rentabilidade?
O que você precisa lembrar sobre o que é a liquidez

Entender o conceito de liquidez contribui para que investidores conquistem rentabilidades maiores e liberdade financeira.

Siga com a gente e saiba mais sobre o que é liquidez e como ela afeta os seus investimentos.

O que significa liquidez no mercado financeiro?

De maneira simples, liquidez corresponde a rapidez com que um investimento é resgatado e convertido em dinheiro. 

A facilidade de resgate é de interesse de todo investidor, principalmente daqueles que não pretendem ou não conseguem manter uma aplicação por um longo período.

No mercado financeiro, quanto mais rápido o dinheiro aplicado ficar disponível, mais líquido o investimento é. Do contrário, ele possui baixa liquidez.

Entenda como isso funciona!

Alta liquidez

Um ativo possui alta liquidez quando é facilmente resgatado. É o caso das aplicações em poupança, Tesouro Direto, Fundos e títulos de Renda Fixa de liquidez diária.

No caso da Poupança, essa modalidade permite que os investidores tenham o dinheiro em mãos a qualquer momento e, em alguns casos, utilizando um cartão de débito.

Claro que a liquidez é somente um dos pilares que devem ser analisados. Apesar da alta liquidez, a Poupança é um dos produtos que possuem baixo retorno financeiro. Aprofundaremos esse assunto nos próximos tópicos.

Baixa liquidez

Já os investimentos com baixa liquidez são exatamente o inverso. Ou seja, são aqueles que não permitem a conversão em dinheiro com agilidade. 

Por exemplo: os imóveis. A venda de uma casa, apartamento ou sala comercial pode levar mais tempo do que o desejado. Além disso, envolve uma série de trâmites burocráticos até que o recurso esteja totalmente disponível para uso. 

No caso das aplicações financeiras, equivalem aos ativos com prazo de resgate mais alongados, como os títulos de Renda Fixa.

Como a liquidez afeta a rentabilidade das aplicações?

A liquidez e rentabilidade costumam andar em direções opostas. Em geral, os investimentos mais rentáveis possuem uma menor liquidez. 

Na renda fixa, os títulos destinados ao longo prazo apresentam taxas de rendimento mais atrativas, especialmente quando comparados aos de liquidez diária ou com vencimento no curto prazo.

Isso acontece porque o emissor do título tende a pagar um prêmio maior ao investidor que se propõe a aplicar seus recursos por um prazo maior, sem necessidade de resgatá-los. 

Neste caso, o emissor terá maior controle para tomar as suas decisões de como utilizar os valores investidos.

Qual a diferença entre liquidez diária e liquidez imediata?

A liquidez imediata ou D+0 é aquela em que é possível reaver o dinheiro em poucos minutos ou no momento exato da solicitação de resgate. 

Já a liquidez diária ou D+1, o prazo começa a contar da data em que foi realizada a ordem de resgate (D) e levará mais um dia (+1) útil para que os recursos solicitados fiquem disponíveis na conta.

Lembre-se que os ativos com liquidez diária são negociados em dias úteis e em horário comercial. Por isso, antes de realizar qualquer aplicação, verifique as regras de resgate de cada investimento em sua corretora. 

D+1: exemplos de investimento com liquidez diária

Para facilitar, listamos abaixo alguns produtos com prazo de liquidação e níveis de rentabilidade distintos. Confira!

Tesouro Direto:  

O Tesouro direto representa os títulos públicos emitidos pelo Governo Federal, que possuem rentabilidades superiores à poupança. 

Uma das características do Tesouro Direto é que todos, independente do prazo de vencimento, possuem liquidez diária. Isso é possível porque o Tesouro Nacional garante a recompra dos títulos. 

Mas atenção: caso o resgate seja solicitado até as 13h de um dia últil, o valor será creditado no mesmo dia ao investidor.

CDBs: 

Os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) são outra opção de investimento em renda fixa que costumam ter liquidez diária. 

Assim como a poupança, eles contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Os CDBs também são negociados com outros prazos de liquidação e quanto mais longos eles forem, maior o potencial de rentabilidade.

Fundo de Investimentos:

Os Fundos de Investimento são ativos com maior versatilidade, com diversas características de prazos e riscos. 

Os categorizados como Fundos DI ou Fundos Referenciados DI possuem boa liquidez e concentram seu patrimônio líquido em títulos públicos. 

Esses Fundos têm a rentabilidade indexada ao CDI. Eles possuem baixa volatilidade e poucas chances de perdas significativas, por isso são ideais para situações de emergência.

Fundos Imobiliários, Ações e ETFs: 

Os ativos da Renda Variável negociados em Bolsas de Valores são boa opção para quem está disposto a se expor mais ao risco em busca de maiores retornos. 

No entanto, o investidor precisa estar ciente que esses tipos de ativos são mais voláteis e podem passar por períodos de desvalorização. Se negociados em momentos de estresse do mercado, eles podem resultar em perdas financeiras.

Por este motivo, Fundos Imobiliários, Ações e ETFs  não devem ser utilizados como reserva de emergência, ainda que possuam liquidez em D+2.

D+30: conheça outros tipos de liquidez

O mercado de investimentos é formado por uma gama de produtos financeiros com diferentes prazos de liquidação, incluindo desde ativos com resgate imediato aos mais longos.

D+30, D+60, D+90, D+180, muitas são as possibilidades de se investir em prol de elevar o potencial de retorno da sua carteira de investimentos.

Os títulos privados, como as Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA) são uma das opções de investimentos. Após carência de 90 dias, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), elas podem ser negociadas no mercado secundário.

As Debêntures, os Fundos de Direito Creditório (FIDC) e os Certificados de Recebíveis do Agronegócio e Imobiliário (CRA e CRI) também são alguns produtos de Renda Fixa com maior rentabilidade e baixa liquidez. 

Você sabe o que é risco de liquidez?

Considere que você aplicou todo o seu capital em um determinado ativo e agora precisa resgatá-lo com urgência. A dificuldade para ter o dinheiro em mãos novamente equivale ao risco de liquidez.

Além de não conseguir realizar o resgate de forma rápida, a ausência de liquidez dos investimentos pode resultar em prejuízo de rentabilidade e até perda significativa do patrimônio

Por isso, ao investir, é muito importante que o investidor planeje o grau de liquidez dos ativos de sua carteira, deixando recursos à disposição em diversos prazos de resgate. Essa é uma regra de ouro.

O que vale mais a pena: liquidez ou rentabilidade?

Muitos investidores ainda confundem os conceitos de liquidez e rentabilidade. Enquanto o primeiro trata da capacidade de reaver o dinheiro aplicado, o segundo se refere à remuneração que será paga ao investidor por manter o capital investido.

Nem sempre um investimento com alto potencial de retorno tem baixa liquidez. Por exemplo, as Ações, os Fundos Imobiliários e outros ativos negociados na Bolsa de Valores. Contudo, quanto mais rentável, maior será a sua exposição ao risco.

Dito isso, se a sua intenção é construir uma reserva de emergência ou se está começando a investir, priorize as aplicações com liquidez alta. 

Agora, se os seus investimentos estão direcionados para o longo prazo, o ideal é buscar por ativos que rentabilizem melhor o seu capital, com a liquidez compatível aos seus objetivos e situação financeira. 

O que você precisa lembrar sobre o que é a liquidez

Liquidez, segurança e rentabilidade é o que todo investidor procura. Ocorre que quando o assunto é investimento, reunir essas três características em um único produto financeiro é inviável.

Neste caso, o melhor caminho para um planejamento financeiro de sucesso é construir uma carteira de investimentos diversificada, que atenda a sua necessidade de liquidez, os objetivos financeiros e esteja alinhada ao seu perfil de investidor.

Seja um investidor consciente e evite perdas desnecessárias. Construa o seu portfólio com cuidado e atenção, considerando os principais riscos envolvidos. Evite escolher ativos somente por apresentarem as maiores rentabilidades.

Quer saber mais sobre oportunidades no mercado financeiro? Acompanhe no blog da MyCAP e tenha acesso a conteúdos sobre economia, investimentos e finanças pessoais.

Aqui na MyCAP, você acessa o mercado com facilidade e investe o seu dinheiro com segurança

Você conhece a  MyCAP? Conte com a isenção de corretagem e abra a sua conta.

Talvez você também queira saber sobre:

Como declarar os investimentos no Imposto de Renda em 2022?
O que é e como montar sua reserva de emergência

Compartilhar:FacebookTwitter

Deixe uma resposta

MyCAP Power Broker APP

É a ferramenta ideal para quem quer acompanhar o mercado em tempo real de qualquer lugar.

MyCAP Power Broker APP
%d blogueiros gostam disto: